sábado, 4 de junho de 2011

Professor Coordenador Pedagógico do Ensino Médio-PROJETO

Projeto para Professor Coordenador Pedagógico do Ensino Médio

Identificação do Candidato
Nome: Wagner Feitosa Avelino
R.G:
Fone:

Pretensão a Professor Coordenador
Ensino Médio

Escola Sede de Freqüência
Escola Estadual Dirceu Dias Carneiro, Santa Bárbara D`oeste-SP

Escola de Pretensão
Escola Estadual Dirceu Dias Carneiro, Santa Bárbara D`oeste-SP


1 - Identificação com trajetória, formação e experiências profissionais.
           
Sou o Wagner Feitosa Avelino, casado e residente em Americana, São Paulo, iniciei a carreira como professor na Secretaria Estadual de Educação em Minas Gerais no ano de 2000, onde lecionei por um período de quatro anos, paralelamente na Instituição Municipal de Ensino da cidade de Uberaba, e em um cursinho pré-vestibular como voluntário em Minas Gerais. Atualmente, professor PEB II, Efetivo da Rede Estadual de Ensino de São Paulo, com sede de freqüência na Escola Estadual Dirceu Dias Carneiro em Santa Bárbara do O’este, São Paulo. Graduado pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letra de São José do Rio Pardo, São Paulo, na disciplina de História em 1999. Pós Graduado em História do Brasil pelas Faculdades Integradas Simonsen, do Rio de Janeiro, em Setembro de 2001, com duração de 450H. Cursando Especialização em Gestão Escolar pelas Faculdades NetWork, no ano de 2008, com a duração de 450H. Curso de Atualização Ensino Médio em Rede 2005 e 2006. Curso de Atualização Teia do Saber: Metodologias de Ensino da Leitura em todos os Componentes Curriculares do Ciclo II do Ensino Fundamental e do Ensino Médio I (Curso Inicial) pela Faculdade de Americana, em 2006. Curso de Atualização Teia do Saber: Metodologias de Ensino da Leitura em todos os Componentes Curriculares do Ciclo II do Ensino Fundamental e do Ensino Médio II (Continuidade) pela Universidade Estadual de Campinas, em 2007. As experiências profissionais datam desde o ano de 2000, em Minas Gerais, nas redes de ensinos Estadual, Municipal e Particular, lecionado nas disciplinas de História, Geografia e Ensino Religioso. No estado de São Paulo, iniciei o trabalho como professor na rede municipal de ensino de Americana, no CIEP (Anísio Spinola Teixeira) no final de 2003, como professor de História e de Geografia. No ano de 2004, iniciei na Rede Estadual de Ensino como professor Eventual na Escola Heloisa Lacava em Santa Bárbara D’oeste e a partir desta data estive trabalhando como professor eventual e ACT em várias escolas da Diretoria de Americana, onde adquiri experiências profissionais. Lecionei na Escola Estadual Doutor João Thienne, em 2005, no projeto Tele Curso 2000 (TELE-SALA), na Escola Dirceu Dias Carneiro, em 2006, no projeto Tele Curso 2000 (TELE-SALA) e na Escola Estadual Jardim do Lago em 2007, no projeto Tele Curso 2000 (TELE-SALA).Trabalhei na rede particular de ensino em Americana no Colégio Gênius com as disciplinas de História e de Geografia nos anos de 2004 e 2005. No Colégio Bandeirantes, no cursinho pré-vestibular com a disciplina de Geografia em 2004. E em Campinas no Colégio Harmonia, ministrando aulas de Geografia no ano de 2007. Atualmente faço um trabalho voluntário como professor em um Instituto Teológico na cidade de Americana com as disciplinas de História de Israel e Geografia Bíblica.     

2 – Justificativas:

2.1. Formas e procedimentos adotados na realização do diagnóstico da escola.
      
 A melhoria da qualidade da educação, que é hoje o maior e mais importante desafio do país no campo das políticas sociais. É fundamental reconhecer a importância que a educação deve ter, mas também é preciso ter um diagnóstico claro das dos problemas a fim de traçar estratégias e políticas que possam melhorar o quadro atual. E qualquer solução passa por estratégia de longo prazo e políticas de Estado que não sofram descontinuidade com mudanças com governo. Os diagnósticos da escola serão analisados de forma minuciosa nos procedimentos do governo estadual e federal, de acordo com os regimentos e arquivos avaliativos do SARESP, da PROVA BRASIL e do SAEB. A partir destes conceitos os procedimentos serão específicos para cada dificuldade de aprendizagem. Adoção de procedimentos, estratégias e ação didático-pedagógica focados na recuperação da aprendizagem e na aquisição de conteúdos e competências requeridos nas etapas seguintes da vida escolar.

2.2. Objetivos gerais do trabalho para 2008.
   
Será com apoio das referências da Nova Agenda da Educação Pública do Estado de São Paulo que integra um conjunto das dez ações para uma escola melhor, ou seja, desenvolver um trabalho coletivo com os professores e alunos da unidade escolar, apoiado pedagogicamente pelas diretrizes da SEE.

2.3. Estrutura do projeto de trabalho.
      
Terá como base à aprendizagem do aluno e apoio aos professores, relacionando-os com a comunidade escolar criando um estreito elo de ligação, ficando com esta responsabilidade o professor coordenador. Que também terá uma argumentação baseada no trabalho da realidade da Unidade Escolar, ou seja, criando alvos a serem alcançados passo a passo, visando melhorar cada vez mais a base da educação de acordo com a Nova Proposta Curricular da Secretaria do Estado de São Paulo.

2.4. As etapas do processo de formulação e execução do projeto de trabalho.
     
Serão baseadas de forma bimestral, mas tendo abertura para readaptação de emendas, a cada sugestão proposta com base na Nova Proposta Curricular da Secretaria do Estado de São Paulo. Pois, os acordos simultâneos que terão durante as reuniões pedagógicas do grupo na Unidade Escolas (HTPC), serão primordial para a execução, devido à interatividade das idéias que estarão sendo expostas para uma melhoria coletiva da comunidade escolar. Observando as etapas do processo de formulação, estarão abertas idéias concretas com fontes bibliográficas para mobilidade de forma democrática, conforme a própria Constituição Brasileira. Então, as etapas do processo de formulação serão gradativas e adaptando conforme os resultados obtidos bimestralmente e execução será na política democrática com o apoio de toda a comunidade escolar.

2.5.Relação entre a proposta pedagógica da escola e a proposta curricular proposta na rede pública estadual.
    
 A proposta pedagógica da escola será baseada primeiramente conforme a proposta estadual, ou seja, tendo uma obediência total ao órgão superior e depois sim um trabalho direcionado com a Unidade Escolar, conforme as realidade e necessidade da comunidade escolar. Agora sabemos que cada escola tem sua realidade em referência a pontos positivos e aqueles com mais pertinências, ou seja, que deverão ser trabalhados com uma atenção redobrada, buscando alcançar uma unidade social e intelectual de cada aluno, transformando-o em cidadão dentro do contexto da cidadania.

2.6.Os procedimentos e as orientações para a Proposta Curricular de 2008.
   
  Os procedimentos e as orientações para a Proposta Curricular de 2008, iniciará com a observação do rendimento pedagógico no dia-a-dia do educando, com a equipe escolar, promovendo uma interferência, essa poderá ocorrer no primeiro momento, com uma conversa entre o educando e o coordenador, se esse continuar com dificuldades relacionas ao campo da aprendizagem, será encaminhado para a recuperação paralela, mas antes os pais ou responsáveis pelo educando serão convidados para uma reunião, para expor os problemas do educando, mas também serão apresentados possíveis soluções, como encaminhamento a recuperação, e a ajuda dos familiares em casa e um acompanhamento mais especifico dos professores na sala de aula.Se o baixo rendimento estiver relacionado com atitudes em sala de aula, esses também serão convidados a conversar com o coordenador juntamente com seu responsável, para que junto com a equipe escolar possamos encontrar soluções que venha melhorar o rendimento do mesmo e fazer com que esse possa entender que a disciplina faz parte do aprendizado.Sobre a Proposta Curricular em especifico, cabe ressaltar a qualidade dos professores em exercício na Unidade escolar, tendo cada um deles o interesse e o despertar para uma comunidade escolar de destaque na Diretoria Regional de Americana.

2.7. Estratégias a serem adotadas frente às condições de partida, necessidades, expectativas e problemas apontados pelos diagnósticos do corpo docente e discente.

      As estratégias a serem adotadas frente às condições de partida serão o contato direto com alunos e professores e, a fidelidade ao cumprimento das propostas apresenta, diante da comunidade escolar. Já as necessidades serão ressaltadas conforme forem aparecendo às dificuldades, sabemos que conforme o trabalho pedagógico for evoluindo, conseqüentemente as dificuldades irão desaparecendo, principalmente quando todos visam objetivos comuns. Agora as expectativas e problemas apontados pelos diagnósticos do corpo docente e discente serão trabalhado com responsabilidade dedicação e integridade. Analiso que, se o corpo docente e discente estiver diagnosticando o trabalho o grupo estará no caminho certo, pois isto é união e trabalho coletivo.

2.8. Cronograma de 2008, do Projeto de Professor Coordenador:

2.8.1. As orientações e as reuniões de coordenação rotineiras

As orientações e as reuniões de coordenação rotineiras, serão seguidas rigidamente, conforme as reuniões semanalmente, onde haverá debates e sugestões para o trabalho semanal, mensal, bimestral, semestral e anual. Mas, o especial é a vantagem do trabalho de desenvolvimento pedagógico, que será durante e ao termino de cada um dos bimestres, onde serão diagnosticados os desenvolvimentos de cada um, através do desempenho do projeto, seguindo a determinada linha de raciocínio evolucionista.

2.8.2. A ação articuladora   

A ação articuladora, entre as avaliações realizadas e as ações de formação de professores, marcará o desenvolvimento do projeto, através das formações continuadas, nos momentos das aulas livres de estudo de cada professor no caso de estudos individualizados e principalmente no próprio tempo da interação pedagógica, durante os HTPC, como troca de experiências.  

2.8.3.   As ações e os tempos dedicados ao projeto

As ações e os tempos dedicados à articulação com a Direção da Escola e a Diretoria de Ensino, servirá de suma importância como suporte para Unidade Escolar, ou seja, sendo um dos principais elos de ligação entre secretaria Estadual de Educação e aluno. Com isso, o professor Coordenador deverá seguir a risco as instruções do Gestor escolar e da Diretoria de Ensino, para provar a organização do projeto apresentado, ou seja, o respeito às leis e regras da LDB.

2.9. Quais os elementos e ou as informações a serem coletadas ao longo do ano letivo que estarão avaliando a consecução dos objetivos propostos e o desenvolvimento das ações programadas.
    
Primeiramente um trabalho bem próximo da realidade, dando o suporte desejado para os professores e alunos a todos os momentos, o que será transferido para a comunidade escolar de forma cidadã. Segundo elemento primordial será, as pesquisas bibliográficas realizadas ao longo do ano letivo referentes à realidade da Unidade Escolar.Terceiro elemento a ressaltar como importantíssimo será, a Educação Democrática nos quesitos aceitação de idéias novas para ampliação e facilitação do trabalho pedagógico, justamente ligados ao Trabalho estadual da Secretaria de Educação.

3 – Objetivos

3.1. Trabalhando com o aluno

   O professor coordenador acompanhará e dará o suporte aos alunos em relação ao desenvolvimento afetivo, cognitivo e comportamental. Ou seja, será um serviço de apoio aos alunos, não apenas para acompanhamento do rendimento escolar e da freqüência, mas também quanto às relações interpessoais do aluno com colegas e professores, seu interesse ou desinteresse pelas atividades e todas as outras questões que dizem respeito ao seu bem-estar e desenvolvimento intelectual e emocional. Dessa maneira, o Professor Coordenador prestará atendimento individualizado, permanecendo à disposição para atender alunos que procuram o Coordenador por iniciativa própria. Porém, pode também convidar o aluno a comparecer, por indicação da equipe pedagógica e/ou dos pais. Além desse suporte, o Professor Coordenador também promoverá projetos de orientação Vocacional, que ajudam os alunos – principalmente no Terceiro Ano do Ensino Médio – a aprofundarem seu conhecimento sobre as diferentes áreas de interesse profissional, auxiliando na escolha de carreiras.Tendo na base esse princípio, o papel fundamental do Ensino Médio é preparar para a vida, qualificar para a cidadania e capacitar para o aprendizado permanente. Além de promover a compreensão dos fundamentos científicos-tecnológicos, essa etapa do processo de aprendizagem deve contribuir para o aprimoramento pessoal, para a formação ética, para a autonomia intelectual e para o embasamento de um raciocínio crítico.

3.2. Trabalhando com o amigo professor a nova proposta pedagógica

     Equipe, segundo o dicionário Aurélio é: conjunto ou grupo de pessoas que se aplicam a uma tarefa ou trabalho. Para definir equipe de trabalho, vão esbravejar alguns, é muito pouco. Equipe de trabalho seria: duas ou mais pessoas que ao desenvolver uma tarefa ou trabalho, almejam um objetivo único, obtido de consenso. Ou ainda, equipe de trabalho é um grupo de pessoas que compartilham de um mesmo objetivo. De outra maneira: equipe é a união de um grupo de pessoas em torno de objetivos desenvolvidos pelo próprio grupo. Na verdade, quantas serão as definições de equipe?
 Penso que de todas as definições conhecidas o que existe em comum é que os integrantes de uma equipe de trabalho compartilham os objetivos e resultados. Em outras palavras, isto quer dizer que a partir dos objetivos individuais, constroem um ou mais objetivos que atendam os anseios de todos os seus integrantes. Às vezes, é preciso até abrir mão de parte de seu objetivo pessoal para atender aqueles que toda a equipe definiu. É numa última análise, um conjunto ou grupo de pessoas que se aplicam a uma tarefa ou trabalho, com um ou mais objetivos comuns, onde existam condições que permitam, também, o crescimento individual.

3.3. Trabalhando com autores educadores.

   -  Elaborar relatórios simples, de avanços e dificuldades dos educadores durante os bimestres, propor junto (pasta) com a equipe intervenções que deverão ser feitas.
   - Diagnosticar o desempenho pedagógico do corpo docente e discente da Unidade Escolar, através da Nova Proposta Curricular da Secretaria do Estado de São Paulo.
   - Planejar e colher informações estratégicas e métodos dinâmicos para o desenvolvimento pedagógico da Unidade Escolar.
  -  Colocar em prática as estratégias e os métodos dinâmicos para o desenvolvimento pedagógico da Unidade Escolar.
   - Formular projetos, que vise despertar uma ligação maior entre professores e alunos, com objetivo de relações interpessoais.
 -  Apoiar docentes e discentes nos trabalhos pedagógicos referentes a fechamento de semestre.
 -  Reajustar a grade curricular com a realidade, ou seja, apoiar os docentes com temas da atualidade do aluno.
  - Preparação para as avaliações do SARESP, da PROVA BRASIL e do SAEB, conforme o diagnóstico apresentado nos anos anterior.

3.4 A importância de trabalhar com a proposta Curricular do Governo Estadual
           
Porque precisamos garantir a todas as crianças e jovens da escola pública de São Paulo o direito de terem acesso a uma base curricular comum, bem estruturada e fortemente apoiada nas exigências do mundo moderno. Também a proposta surge de uma necessidade manifesta de nossos educadores, gestores, famílias e da sociedade paulista em geral. É preciso que o Estado proponha com clareza e transparência o que objetiva para a formação das crianças e jovens sob sua responsabilidade. A proposta considera os conteúdos básicos para o aprendizado e sugere o aprofundamento desses mesmos conteúdos quando a carga horária for maior.

4 - Proposta de avaliação e acompanhamento do projeto e as estratégias previstas.

4.1. Proposta de Avaliação e acompanhamento do Projeto Pedagógico

___________________________________________________________
1. Identificação

Título do Projeto:

Ano:                      Semestre:                         Horas semanais dedicadas ao Projeto:

Envolvidos (nomeá-los):

2. Informações Requeridas

I - Principais objetivos do projeto:

1)

2)

3)

II – Principais etapas executadas no período, visando ao alcance dos objetivos:

1)

2)

3)

III – Apresentação sucinta dos principais resultados obtidos, deixando claro o avanço teórico ou prático obtido até o momento:


IV – Relacionar os principais fatores positivos e negativos que interferiram na execução do projeto:


V – Informar os trabalhos realizados pelos alunos relacionados com o projeto em pauta: De organização ou participação em eventos científicos, culturais ou sociais


VI – Outras observações e comentários específicos julgados relevantes:


Assinatura do responsável____________________________________
Data e Local: ______/_______/________/______________________


________________________________________________________

Estratégias Previstas.

4.2. Ações que pretendo desenvolver na Unidade Escolar

Trabalho em equipe: que é supervalorizado devido a ativa  criatividade e quase sempre produz melhores resultados do que o trabalho individual, acaba por ser uma oportunidade de conviver mais perto dos  colegas, e também de aprender com eles.

Ser paciente: Nem sempre será fácil conciliar opiniões diversas, mas afinal "cada cabeça uma sentença". Por isso será importante paciência. Vou expor os meus seus pontos de vista com moderação e procurar ouvir o que os outros têm a dizer. Estarei respeitando sempre os outros, mesmo que não esteja de acordo com as suas opiniões.

Aceitar as idéias dos outros: Será importante reconhecer que a idéia de um colega pode ser melhor do que a nossa. Afinal, mais importante do que o nosso orgulho, é o objetivo comum que o grupo pretende alcançar.

Dividir bem as tarefas na equipe: Ao trabalhar em equipe, será importante dividir tarefas. Compartilhando com responsabilidade e dando as informações fundamentais.

 Dialogar muito: Ao sentir-se desconfortável com alguma situação ou função que lhe tenha sido atribuída, é importante que explique o problema, para que seja possível alcançar uma solução de compromisso, que agrade a todos.

Planejamento: Quando várias pessoas trabalham em conjunto, é natural que surja uma tendência para se dispersarem; o planejamento e a organização são ferramentas importantes para que o trabalho em equipe seja eficiente e eficaz. É importante fazer o balanço entre as metas a que o grupo se propôs e o que conseguiu alcançar no tempo previsto, ou seja, se a escola quer alcançar um objetivo pedagógico deverá ter um ótimo planejamento.

Participativo e solidário: Vou procurar dar o meu melhor e procurar ajudar os meus colegas, sempre que seja necessário. Da mesma forma, não poderei sentir-me constrangido quando necessitar pedir ajuda.



Nenhum comentário:

Quem sou eu

Minha foto
Americana, São Paulo, Brazil
Mestrando em Educação pela Unesp Rio Claro.Pós-Graduado em História pela Unicamp/Redefor 2011/2012. Especialista em História pela Simonsen, Especialista em Gestão Escolar pela Net Work, Licenciado em História pela FEU e Curso Médio em Teologia pelo ITQ.

O tempo

O tempo
O tempo marca a experiência do homem